sábado, 17 de novembro de 2007

Equalizando as idéias

O texto abaixo foi escrito pelo meu grande amigo Thales Brito. Fala a respeito daqueles que vivem "se achando" na frente do computador...

Esquizofrenia urbana

Com frases sem sentido que nunca são compreendidas, com mensagens do dia, nicks espaciais, são caracterizados por tentarem expressar um sentimento que desta forma possam compartilhar com outrem. Ativam o que estão ouvindo como quem diz: Hey! Olhem para mim. Nada consta. Ninguém entende nada...uma bobagem maiúscula, absurda...haha, eu rio até. Eles querem chamar atenção. Suas "obras de arte" únicas são imagens superpovoadas, muitos amigos, muitas cores, muitas expressões, muitos bichos...querem ser os maiores bem amados. Ridículo o ponto que chega o ser humano.
De repente seus únicos talentos se resumem a uma imagem grotesca que não diz nada. Não revela talento artístico como querem. Não expressam escrita, arte visual, dicção (pois muitos se representam com o pior da língua portuguesa). Não conheçem política, maravilhas e nem sentimento. Tudo neles é raso como poça, ou melhor, fossa.

Eles acreditam na sorte de hoje, na vida é especial, no "não ouça os enfermos", no “não de atenção aos menores de posição” e nem aos q ofereçem amparo. São individualistas e oriundos da verdadeira pobreza moderna. Quem os humilha mereçe atenção, quem os desfere ganham espaço....os que não prestam ganham espaço. Têm medo da verdade, esculpem suas caras seus abraços,seus deleites e seus sorrisos. Para eles basta a posição, o estatus. Na verdade o que realmente não enxergam, é que suas vidas são mais fracassadas do que as dos pobres mendigos, estes sim que lutam para sobreviver. A categoria se dá ao contemporâneo esporte do desprezo por quem oferece algo mais. Mal sabem que isto, no entanto é raro e cairá em desgraça rapidamente, pois quem rejeita hoje, pode perder a oportunidade de uma vida mais plena. Segundo pesquisas enxertadas pelo avesso... 80% das "pessoinhas" q povoam o acessado MSN são desprezíveis.

Se acham super atarefadas, e capazes de ignorar outros usuários.Na verdade, esses referidos, acabam sendo frustrados na vida e depois consolam-se dando o troco em quem não tem haver com suas decepções. Desejo-lhes do fundo do coração, que estes acabem tão sozinhos quanto mereçem estar, e aos verdadeiros,que usufruam de um espaço onde possam se tornar mais sábios trocando experiências com quem realmente seja recíproco.
Pensamentos on line, de "A esquizofrenia urbana".

Colocam “ausente” quando estão com a cara no computador.colocam ocupado quando não estão fazendo nada de mais... Pobre ser humano “cibernético”, uma evolução da “espécie” tão vazia...alguém aí ainda se lembra de como é jogar bola no campinho da rua de baixo? Alguém aí se lembra o quanto é bom levantar a bunda da cadeira e ir tomar uma no buteco ali da esquina? Alguém aí anda se lembrando do quanto é bom dar uma boa caminhada, ao lado do seu pai ou da sua mãe, dos seus sobrinhos, filhos, esposa e etc?? O cibernético nem sequer sabe a cor da sua cueca, ou o que comeu no almoço. É deprimente!

Um ótimo final de semana a todos.

(ouvindo: Tim Maia, álbum "Tim Maia Racional" de 1976)

2 comentários:

luma disse...

Herbert, tudo bem por aí?
Seu amigo pode me matar, mas troco algumas coisas para ficar na internet principalmente se o dia estiver chuvoso. Temos que procurar o equilíbrio e combater os excessos.
E para que ele fique mais raivoso, tome um convite pra você - http://www.jango.com/?r=683843707

Boa semana! Beijus

Pietro Juggzz disse...

o mano tem razão em suas palavras...mas isso tá me cheirando amor mal resolvido dele heim? aquela coisa de "a mina que ele gosta naum dá atenção prá ele no MSN". Uai, chama a mina prá sair e olhar nos olhos dela, né naum??? rsrsrsrsrs
abraço irmão, ano que vem to na área;)